11 de ago de 2011

Frio...Saudade - Fica, olha-me... queima-me




Fica, olha-me…queima-me…

Brilha nos olhos o código do silêncio
Calam-se as palavras que a alma sente
O coração aperta, pulsátil, louco
Impele nas artérias o sangue impetuoso
Nutrindo as entranhas viscerais do querer
Docemente a ternura penetra fundo
Na carne ressequida da saudade
A nudez do corpo, veste as roupas da nostalgia.
O pensamento grita na noite escura e fria.
Silencio, ninguém ouve
Só o vento geme baixinho, solidário.
O coração continua a compasso
Da lembrança possante do sentir.
Do desejo ardente do teu ser
E tu, presente mas…. distante.
Ignoras a força do meu querer.

Fica, olha-me mesmo que não me toques
Sente, inflama, não tenhas medo de te calcinar
Transforma-te em fogo ardente
Aquece meu coração,
Queima o meu corpo sedento do teu
Fica, olha-me…queima-me….

[Liliana Jardim]