2 de nov de 2010

Despida De Puro Desejo...


Acato, aceito,
até anseio,

por este incauto ato
me posto de dorso
ofereço-te meu pescoço
e meus membros,
quatro.
Não vejo teu rosto,
apenas sinto o encosto
de teu corpo
por cima posto.
Reclino, empino, arfo,
para facilitar de fato
Sirvo-te então a ti
em meu leito-prato.
Pressinto terno momento
tua mão em meu mento
a outra guiando meu quarto
Sinto então o impacto!
Com força e resolução
me pegas com tua mão
e partes-me ao meio
docemente sem receio
aceito,
contigo meu corpo
reparto...
QUE ATO!!!
Cinges-me pelo cabelo,
eu tua, nua em pelo,
encaixo,
Tua mão em meu peito,
abaixo,
conduzes-me pelo seio,
como se fosse relho
(te espio pelo espelho)
abrindo-me ao meio,
em ti me emparelho,
te aceito, acato.
Estende- me
curvo a coluna
neste sentimento de bruma
que invade,
sentidos em alarde
meu corpo quente arde
em orgástico ápice
que bebo inteiro
preenchendo meu corpo cálice
de ti...